segunda-feira, 11 de junho de 2012

O início... O IMA teve sua origem quando um espírita nordestino de nome Bemvindo Melo, que quando encarnado, Presidente da União Espírita e da Federação Espírita do Estado do Ceará - FEEC, dirigiu-se, por força de sua posição no meio espírita e ao seu precário estado de saúde até a cidade de Franca, município de São Paulo, divisa com o Triângulo Mineiro e as cidades de Santa Maria (onde foi criado o primeiro Centro Espírita no Brasil que contou com a presença em suas primeiras reuniões do cearense Dr. Adolpho Bezerra de Menezes, o Médico do Pobres), Sacramento (cidade do nosso amado Eurípedes Barsanulfo), Uberaba e São Leopoldo (cidade que contou com a presença física de Chico Xavier). Bemvindo Melo, lá permaneceu algum tempo, tendo a oportunidade de conhecer o médium João Berbel, onde ambos com a sintonia peculiar daqueles que participam desta amorosa doutrina, estudavam e promoviam encontros e palestras. O médium João Berbel, nesta época, começou a receber influências espirituais de seu mentor Dr. Alonso y Alonso, que quando encarnado fora médico e prefeito da cidade de Franca. Assim sendo, como espírita não tem doença ou feriado, ambos iam trabalhando, amando ao próximo e o que era melhor: Bemvindo Melo ia apresentando sensíveis e visíveis melhoras no que dizia respeito à sua saúde. Toda a cidade de Franca, aprendeu a amar e respeitar aquele que veio de tão longe trazer consigo as palavras que difundia a todo o instante: “- Amar ao Próximo!” tornando o Ceará conhecido como um estado do Brasil, bastante espiritualizado. Estava alicerçada a ponte Franca/Fortaleza. Bemvindo Melo, durante sua estada na cidade, teve por intuição e desdobramento a visão do local onde João Berbel deveria instalar e criar o IMA, com seu hospital e hotel (para receber pessoas como ele, doentes de outras regiões do estado e do país). Essas instalações deveriam ter espaços para salas com atendimento de cirurgias à distância, refeitório, cozinha para confecção do sopão, laboratório para manipulação da medicação da “Farmácia Viva”, livraria e toda a estrutura necessária para o bom atendimento aos necessitados que buscassem auxílio naquela casa. E mostrando o local escolhido ao singelo agricultor João Berbel, este fez como Maria de Nazaré ao receber a mensagem do Anjo: “ - Como farei o que a Espiritualidade me manda?” Bemvindo responde: “ - Não sei. Só sei que assim será”.
Com espanto para todos os envolvidos, sim, porque espírita ainda se espanta, o dono do terreno, um dentista e agricultor de Café, Dr. Ramon, doou aquele abençoado pedaço de chão que tanto bem espalhou ao redor de cada grão de terra lá contido. Com disciplina e uma vontade férrea de trabalho, com a ajuda de muitas doações e trabalho da Espiritualidade, João Berbel tornou o IMA uma realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário